Saúde mental da população negra importa!

Card-matéria-768x768

É preciso avançar ainda na construção e garantia de uma Psicologia antirracista. A partir deste compromisso, o Conselho Federal de Psicologia (CFP) assinou manifesto da Articulação de Psicólogas(os) Negras(os) e Pesquisadoras(os) (ANPSINEP) em defesa de uma Psicologia comprometida com a saúde mental da população negra. O Conselho Regional de Psicologia do Tocantins (CRP-23) também apoia o manifesto. 

O manifesto destaca que as crises econômicas, sociais, políticas e democráticas atingem de maneira mais severa a população negra, agravando a desigualdade, o racismo estruturante e suas múltiplas formas de violência. Tudo isso tem impactos na saúde mental da população negra. “A Psicologia está sendo convocada a fazer uma escolha neste momento histórico e, para tanto, precisa estar atenta às demandas da realidade brasileira que passa mais uma vez por um momento de ataque a democracia e o corrente genocídio da população negra”, ressalta o texto.

O documento afirma, ainda, que diante das recorrentes violências, injustiças e desigualdades provocadas pelo racismo e por seus distintos mecanismos, faz-se urgente a defesa intransigente de vidas negras e, em especial, da saúde mental da população negra há tanto esfacelada. “Saúde mental é direito à vida com dignidade e respeito às singularidades, com acesso a bens e serviços, à segurança alimentar, sanitária e física”, completa o manifesto. Para garantir essa saúde mental da população negra, é preciso que os saberes psicológicos estejam a serviço do povo brasileiro e que a Psicologia, tanto como Ciência quanto como Profissão, seja antirracista e atue pelo fortalecimento das políticas públicas.

O manifesto da ANPSINEP escreve ainda: “É imperativo que o tema da saúde mental da população negra não ganhe só visibilidade a partir das reivindicações e proposições do Movimento Social Negro, mas também que as diferentes entidades do campo da Psicologia e da sociedade civil contribua concretamente para que o lema ‘Vidas Negras Importam’ ganhe materialidade”.

O Conselho Regional de Psicologia do Tocantins (CRP-23) também apoia o manifesto da Articulação de Psicólogas(os) Negras(os) e Pesquisadoras(os) (ANPSINEP) em defesa de uma Psicologia comprometida com a saúde mental da população negra.

(com informações do Conselho Federal de Psicologia)

Comente via Facebook

Comentário(s)