‘Roda de Conversa: Diálogos sobre o Suicídio’ reúne público diverso

 

WhatsApp Image 2017-10-02 at 13.47.23

 

No último sábado (30), o CRP-23 em parceria com o Espaço Ideia realizaram a ‘Roda de Conversa: Diálogos sobre o Suicídio’. O evento pensado para dar luz à campanha do Setembro Amarelo reuniu públicos diversos com o objetivo de dialogar sobre o tema e pensar, coletivamente, alternativas de prevenção. A atividade aconteceu na livraria Leitura, instalada no Capim Dourado Shopping.

Profissionais da psicologia e da psiquiatria mediaram o debate fazendo recortes para contextos do suicídio no âmbito hospitalar, organizacional e do trabalho, além de trazer relações específicas do tema com as populações indígena e LGBT.

O psicólogo Tassio de Oliveira Soares, estudioso das questões relacionadas aos povos indígenas, abordou o impacto causado através do contato das populações tradicionais com os padrões da sociedade de consumo, trazendo reflexões a respeito do caráter adoecer inerente à cultura ocidental.

O recorte sobre a população LGBT foi feito pela acadêmica do último ano de graduação em medicina e militante LGBT, Danuta Duarte. De acordo com a estudante, desde 1989 pesquisas evidenciam que entre os indivíduos homoafetivos o risco de suicídio é maior.

Danuta explica que, “a população LGBT está propensa ao suicídio de forma mais acentuada em consequência da redução dos fatores protetivos, por exemplo, o apoio familiar, institucional, escolar e religioso acabam não sendo suporte para estes indivíduos. De maneira que a discriminação, o preconceito e a homofobia enfrentada diariamente se tornam fatores agravantes para o suicídio de pessoas lésbicas, gays, bissexuais e transexuais.”.

Para a farmacêutica Caroline Carvalho, o evento foi um espaço importante para adquirir mais conhecimento sobre o suicídio e a partir daí pensar estratégias de prevenção e assistência às pessoas envolvidas neste sofrimento.

“Desde que comecei a trabalhar na área da saúde eu tenho me interessado pelo tema. Porque a gente lida com pessoas com transtornos mentais, depressão, suicídio, o tempo todo, então é sempre válido ter mais conhecimento sobre o assunto pra saber como ajudar.”.

Pensar um programa longitudinal permanente de discussões a respeito do suicídio e levar para a sociedade termos como resiliência e enfrentamento diante da falta de cuidado institucional, são os desafios propostos pelo médico psiquiatra Flávio Dias Silva para dar continuidade movimento iniciado na roda de conversa.

“O evento foi uma iniciativa louvável do CRP-23 e do Espaço Ideia. Para nós fica o desafio de levar a discussão adiante e construir novas atividades que ampliem o diálogo sobre o assunto.”.

O suicídio no contexto hospitalar foi abordado pela psicóloga Raphaella Pizani, e no contexto organizacional e do trabalho pela psicóloga Karla Klein.

Também contribuíram como mediadoras e idealizadoras da ‘Roda de Conversa: Diálogos sobre o Suicídio’ as psicólogas Larissa Machado, Rayana Lira e Carmen Hannud.

Comente via Facebook

Comentário(s)