Psicólogas(os) são profissionais da saúde e devem ser incluídos na primeira etapa de vacinação contra a COVID

vacina para todos

Por se tratar de uma ciência ampla, composta por diversas linhas de pensamento e presente em muitos campos de atuação, é comum que algumas pessoas ainda relacionem a Psicologia apenas como parte das ciências humanas. Mas é importante lembrar que além do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), que classifica a Psicologia como Ciências Humanas, o Conselho Nacional de Saúde, através da Resolução Nº 218/1997, também reconhece psicólogas e psicólogas como profissionais da saúde de nível superior.

Isso porque a Psicologia, enquanto ciência e profissão, desempenha papel fundamental para a integridade do indivíduo e para a promoção e manutenção de bem-estar coletivo, estando cada vez mais presentes nas políticas públicas e nos espaços públicos e privados de tratamento de saúde.

Um exemplo atual da participação imprescindível da Psicologia no campo da saúde é o trabalho incansável de psicólogas e psicólogos no atendimento aos pacientes contaminados ou com suspeita de COVID-19 e no suporte a demais categorias que atuaram/atuam no contexto da pandemia.

Destacando que estes trabalhadores estão expostos a riscos iminentes de contaminação, pois realizam desde o atendimento psicológico beira leito ao acompanhamento dos familiares durante o reconhecimento do corpo das vítimas que chegam a óbito. Além disso, profissionais da Psicologia se reinventaram para fornecer atendimentos on-line e para proporcionar visitas virtuais entre pacientes contaminados e seus entes queridos, atuando ativamente também na produção de protocolos e materiais orientativos em sintonia com as diretrizes das autoridades sanitárias.

VACINAÇÃO CONTRA A COVID-19: Profissionais da saúde são prioridade

Quase um ano após o primeiro caso de contaminação por coronavírus no Brasil, o Ministério da Saúde entregou aos estados brasileiros, no dia 18 de janeiro, cerca de 4,8 milhões de doses da CoronaVac, vacina desenvolvida por cientistas do Instituto Butantan com a empresa chinesa Sinovac, para iniciar a imunização contra a COVID-19 em todo o país. Recentemente o Brasil também recebeu 2 milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca vindas do Instituto Serum, da Índia, e a Anvisa liberou o uso emergencial de mais 4,1 milhões de doses da CoronaVac. Até o momento, estima-se que tenha chegada ao país cerca de 12,8 milhões de doses de vacinas para enfrentar a pandemia.

As doses estão sendo divididas proporcionalmente entre os estados, de acordo com suas populações, e a partir daí encaminhadas aos municípios para organização do fluxo de distribuição e aplicação. O Tocantins recebeu até agora cerca de 60.900 doses de vacinas contra a Covid-19 e, segundo o Plano Estadual de Vacinação, seguirá as estratégias contidas no plano desenvolvido pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI). Desta forma, os gestores estão optando pela seguinte ordem de priorização: preservação do funcionamento dos serviços de saúde, proteção dos indivíduos com maior risco de desenvolvimento de formas graves e óbitos, seguido da preservação do funcionamento dos serviços essenciais e proteção dos indivíduos com maior risco de infecção.

CRP-23 age em defesa de vacinação para todos os profissionais da Psicologia no Tocantins

No dia 29 de janeiro, o Conselho Regional de Psicologia do Tocantins encaminhou um ofício à Secretaria de Estado da Saúde (Ses/TO) solicitando informações quanto a vacinação das(os) psicólogas(os) que não estão dentro dos serviços de saúde, questionando também se haverá distinção entre os profissionais que atuam no âmbito público e aqueles que atuam no âmbito privado, e se serviços a exemplo dos CRAS (Centros de Referência de Assistência Social) serão considerados como espaços de produção de saúde.

Na última terça-feira, 02 de fevereiro, chegou ao CRP-23 a informação de que profissionais da Psicologia que trabalham no Hospital Geral de Palmas não estavam recebendo a vacina, diante disso o Conselho também oficiou a Secretaria Municipal de Saúde e a Diretoria do HGP para entender os motivos. Ainda não houve retorno aos ofícios.

Mesmo não possuindo governabilidade sobre a disponibilidade e distribuição das vacinas, o CRP-23 defende a inclusão de psicólogas e psicólogos na primeira fase de vacinação contra a COVID-19. Lembrando que a vacina não se restringe aos que estão em atuação apenas em ambiente hospitalar ou área específica da saúde, mas que todo psicólogo e toda psicóloga, enquanto trabalhadores da saúde reconhecidos através da Resolução 218-97 do Conselho Nacional de Saúde, tem direito às doses tanto quanto as demais categorias pertencentes ao quadro.

O CRP-23 reforça que, diante de qualquer irregularidade observada na distribuição das vacinas contra a COVID-19, a categoria pode procurar tanto o Ministério Público Estadual quanto o próprio Conselho de Classe, os quais poderão agir juntos em defesa dos profissionais.

VACINA PARA TODAS, TODOS E TODES JÁ!

Comente via Facebook

Comentário(s)