Comunidade acadêmica dos cursos de psicologia do Tocantins debatem formação no contexto da pandemia em seminário promovido pelo CRP-23 e ABEP-TO

card seminário prints

No dia 02 de julho do corrente ano o Conselho Regional de Psicologia do Tocantins (CRP-23) em parceria com o núcleo Tocantins da Associação Brasileira de Ensino de Psicologia (ABEP-TO) realizaram o Seminário “Formação em Psicologia no contexto da pandemia do COVID-19: impactos da Portaria MEC nº 544, de 16 de junho de 2020”. 

O evento reuniu virtualmente, através da plataforma google meet, coordenadores, docentes e discentes dos cursos de Psicologia de diversas Instituições de Ensino Superior do Tocantins, além de representantes do CFP, CRP-23 e ABEP-TO, com o objetivo de discutir amplamente sobre os impactos, as consequências e os desdobramentos do ensino remoto durante a pandemia.

Para a professora do curso de psicologia do CEULP/ULBRA, psicóloga mestra Muriel Correa Neves Rodrigues (CRP 23/377), o seminário proporcionou um espaço importante para perceber o quanto o momento da pandemia está sendo adoecedor para a comunidade acadêmica, o que, segundo ela, requer a atenção das instituições.

“Tivemos que nos reinventar, criar novas estratégias de ensino, buscando a manutenção da qualidade, mas como debatemos, não foi possível para todas as universidades, para todos os alunos. ”.

Em sua fala, a Professora Muriel Correa acrescenta que toda essa nova configuração de ensino, associada às demandas sociais durante a pandemia, vem adoecendo muitos professores e acadêmicos os quais, para além da sobrecarga de atividades, também precisam lidar com incertezas sobre o futuro e perdas reais de pessoas próximas. Ela destaca os estágios práticos como um grande desafio para a formação neste cenário:

“É preciso pensar estratégias para manter a formação de bons profissionais, mas ainda não há uma resposta concreta, nunca enfrentamos uma pandemia antes, não voltaremos para um “normal” nos próximos meses, talvez até no próximo ano (ou anos), e será um é um processo de aprendizagem para todos nós. ”.

Heloise Cristhina Nascimento Martins, acadêmica do 7º período de Psicologia da UNITPAC/ Araguaína, participou do seminário e também pontua preocupações quanto ao estágio remoto considerando as limitações de parte dos acadêmicos:

“Acredito no estágio prático como uma etapa muito importante para a formação profissional, mas precisamos ponderar que o modelo remoto sugerido para o período de pandemia não abarca a realidade de muitos estudantes. Nem todos dispõem das condições necessárias para o estudo em meio ao isolamento, seja de acesso à internet ou de ambiente adequado. ”.

Para Heloise, os impasses quanto ao estágio prático por meio remoto vão além do cenário de pandemia:

“Eu vejo que um estágio remoto gera uma preocupação não somente nesse contexto que estamos inseridos de pandemia, pois é um estágio que obviamente não supre as expectativas de um acadêmico. Mas eu acredito que é necessário pensarmos sobre isso, porque é preciso seguir adiante mas com o olhar atento a todas essas questões. Então o Seminário foi um espaço importante também para falarmos sobre nossas frustrações e expectativas em relação a essas possibilidades de ensino”.

Enquanto organizadora do evento, a conselheira-secretária do CRP-23, psicóloga Mariana Miranda Borges (CRP 23/784), avalia o Seminário como um espaço importante para mobilização da comunidade acadêmica e escuta das perspectivas, sofrimentos e possibilidades que estudantes, professores e coordenadores apresentaram para o atual contexto.

“Foi possível compreender melhor as diversas demandas que percorrem o processo do estágio nesse momento. Apesar de ter sido criado com certa urgência, esse encontro possibilitou uma construção de escuta, que é uma característica principal da nossa profissão. Então acho que a gente está conseguindo organizar ações que são políticas, mas sem deixar de considerar aquilo que é o aspecto principal da Psicologia.”.

Segundo a coordenadora do curso de Psicologia da UnirG, psicóloga mestra Larissa Queiroz Azevedo de Aquino (CRP 23/587), o seminário sobre formação em psicologia no contexto da pandemia do COVID-19 trouxe uma discussão abrangente e necessária para a adoção de estratégias seguras e que preservem a saúde física e mental de todos os envolvidos, garantindo a peculiaridade do ensino oferecido.

“Uma inciativa bastante produtiva e eficaz, pois além de troca de experiências, possibilitou o levantamento de demandas e sugestões que serão discutidas em âmbito nacional. Foi um espaço muito importante para o atual momento, estas ações nos fortalecem enquanto categoria e também nos aproxima na busca de um ensino de excelência e consequente formação de qualidade para os nossos futuros profissionais. ”.

Os seminários virtuais para debater estágio em tempos de pandemia foram realizados em todo o país sob organização dos 24 Conselhos Regionais de Psicologia (CRP) em parceria com os núcleos estaduais da ABEP, e culminarão em um seminário nacional.

Comente via Facebook

Comentário(s)